Leitura Alimenta: projeto adiciona livro à cesta básica

Com a intenção de criar o hábito da leitura em pessoas que tem acesso restrito a livros, a Livraria da Vila e a Cesta Nobre, com apoio da agência Leo Burnett Tailor Made, lançam o projeto Leitura Alimenta.

A iniciativa convida a população a doar livros novos ou usados, que já foram lidos e hoje estão perdidos em gavetas e prateleiras, para serem incluídos em cestas básicas distribuídas a famílias por todo o país.

Para participar, basta levar seus livros a uma das unidades da Livraria da Vila em São Paulo.

Para quem não quiser se desfazer de sua coleção, também pode colaborar comprando um livro virtual, cuja renda será revertida inteiramente para a compra de livros reais.

Outras informações no site do projeto.

Fonte: Exame.
Leia Mais

Os escritores ilustrados de Roman Muradov

A Biblioteca de São Paulo divulga, em seu blog, os quadrinhos e ilustrações sobre literatura do artista plástico russo Roman Murdov. O ilustrador criou uma série de obras inspiradas nos seus escritores favoritos. 

Roman é autor de vários outros trabalhos baseados no mundo dos livros. Confira mais no tumblr do artista, atualizado constantemente, e no site. Os textos estão em inglês.

Confira abaixo algumas ilustrações de escritores.

Franz Kafka

Jorge Luis Borges


Leia Mais

Trailer de livro: uma forma a mais de despertar a vontade de ler


O diálogo entre literatura cinema sempre esteve presente em adaptações de obras que tornaram-se grandes sucessos na telona. Mas nos últimos anos, surgiu uma novidade nesse intercâmbio. Desta vez, a literatura se apropriou de um poderoso recurso da 7ª arte: o trailer.

Produções cinematográficas, antes produzidas exclusivamente pela indústria do cinema, para despertar a curiosidade e atrair espectadores para os filmes,  ganham cada vez mais espaço no universo editorial com os trailers de livros ou booktrailers, em inglês.

Inicialmente, os trailer literários surgiram como proposta comercial das editoras para auxiliar na divulgação e venda de livros, mas expandiram suas fronteiras e se transformaram em material pedagógico para ser usado por professores em salas de aula. Essa é a proposta do site LivroClip. Nele é possível encontrar animações dos mais diversos títulos que têm como objetivo apresentar trechos de clássicos da literatura, e parte da biografia de seus autores, à crianças e adolescentes. 

Alguns leitores, aspirantes a diretores, também se aventuram nessa tendência, expondo, em vídeo, suas próprias impressões sobre as obras lidas. Muitos destes vídeos amadores podem ser vistos através do Youtube.

Diante do sucesso dessas criações, a BiblioFilmes, desde 2009, realiza premiações para os melhores trailers de livros produzidos por editoras, autores, leitores, agências de publicidade, escolas e até mesmo livrarias e produtoras. Quando a novidade é trazida para os leitores, no entanto, ela divide opiniões. Se alguns acreditam que os trailers de livros trazem o benefício de aliar imagem e som à leitura, outros desaprovam a novidade, justamente, por achar que dar rostos e cenários para as histórias dos livros pode prejudicar e limitar a imaginação de quem lê.

Ficou curioso? Então, veja os trailers de livros que separamos para você. 

Memórias Póstumas de Brás Cubas – Machado de Assis

O Seminarista – Rubem Fonseca

O Quinze - Rachel de Queiroz



Fonte: Estante Virtual.
Leia Mais

As Aventuras de Pi: um plágio do escritor Brasileiro Moacyr Scliar?

Você sabia que “As Aventuras de Pi”, vencedor do Oscar 2013 em quatro categorias, trouxe à tona uma polêmica envolvendo plágio? 

O canadense Yann Martel, autor do livro “A Vida de Pi”, que inspirou o filme vencedor, foi acusado de copiar a ideia do livro “Max e os Felinos” de autoria do brasileiro Moacyr Scliar (1937-2011).


Essa história começou quando o título recebeu o prêmio Booker de 2002. Na época, a imprensa suspeitou de plágio.

Mais de dez anos depois temendo que a lendária "memória curta" dos brasileiros tenha algum fundamento, vale relembrar o episódio.

Em "As Aventuras de Pi", um adolescente indiano, filho do dono de um zoológico, acaba em um bote após um naufrágio. Um tigre de bengala que aparece na capa do livro faz companhia ao protagonista.

Em "Max e os Felinos", um jovem alemão, que está fugindo do nazismo num navio que transporta animais, acaba em um bote após um naufrágio. Um jaguar que aparece na capa do livro faz companhia ao protagonista.

Abaixo, assista ao vídeo produzido pela editora L&PM com o depoimento de Scliar sobre o caso


Fonte: Folha de São Paulo.
Leia Mais

Oscar 2013: quantos filmes são adaptados de livros?!

Confira os quatro longas indicados à Melhor Filme do Oscar 2013 que foram inspirados em livros:

Os Miseráveis
O clássico de Victor Hugo ganha mais uma nova versão cinematográfica (já são mais de 15), desta vez estrelada por Anne Hathaway, Russel Crowe e Hugh Jackman. O diretor, Tom Hooper, optou por gravar as vozes dos atores no estúdio mesmo, nada de playbacks.
Para quem não conhece o enredo trata-se de um épico que conta os motins populares da França no final do século XIX paralelos a uma história de amor. 

O lado bom da vida
Romance que conta a história de Pat, homem com transtorno bipolar em tratamento, e Tiffany, uma jovem viúva que também tem lá seus problemas. Apesar de à primeira vista soar como uma comédia romântica, o filme retrata, de forma delicada, como é vida de pessoas que enfrentam problemas psicológicos. O livro homônimo que deu origem ao longa foi escrito por Matthew Quick e lançado em 2010.
 Argo
Reféns norte-americanos precisam ser resgatados de um tumulado Irã em 1979. A solução criada por um agente da CIA? Inventar um filme que não existe para poder entrar (e sair) do país. O diretor e protagonista do longa é o ator Ben Affleck e a inspiração é o livro Master of Disguise: My Secret Life in the CIA, de Antonio J. Mendez, lançado em 2009.
 As aventuras de Pi
Um jovem indiano sobrevive a um naufrágio em um bote… com um tigre! Os efeitos especiais e a fotografia tornam o visual um destaque do filme dirigido pelo premiado Ang Lee. O livro com o mesmo nome do filme foi escrito por Yann Martel e lançado em 2001.
 Lincoln
A saga de um dos personagens mais importantes da história dos Estados Unidos é baseada na biografia  Team of Rivals: The Political Genius of Abraham Lincoln, de Doris Kearns Goodwin (sem tradução no Brasil). O protagonista, Daniel Day Lewis, passou por uma caracterização que o deixou incrivelmente parecido com o presidente Lincoln.
 Fonte: Biblioteca de São Paulo.
Leia Mais

Clássicos da literatura em histórias em quadrinhos


As Histórias em Quadrinhos surgiram no século XIX, mais precisamente em 1880, e ficaram mundialmente conhecidas ao dar vida a personagens como Batman e o Super-Homem. Mas com o passar dos anos, as histórias em quadrinhos ou 9ª arte – como preferem chamá-las alguns de seus fãs – retornam às estantes de livrarias trazendo obras com décadas de existência. São os clássicos da literatura nacional e mundial adaptados para os gibis.

Com linguagem moderna e apelo visual, as HQs de livros clássicos têm cativado leitores de todas as idades, sobretudo, os mais jovens. Ao fazerem uma releitura de obras já consagradas, as adaptações de clássicos em quadrinhos têm facilitado o acesso de pequenos leitores de escolas públicas e privadas às narrativas mundialmente famosas. Dentre os clássicos revisitados pelas HQs estão: O Guarani, de José de Alencar, O Alienista, de Machado de Assis, O Capital, de Karl Marx, A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo, Os Lusíadas, de Camões, dentre muitos outros.

Para estudiosos da história dos quadrinhos, a tendência de adaptar a prosa em quadrinhos é reflexo de uma mudança de posicionamento das revistinhas. Por um tempo, a novidade foi a referência à pintura, mas com a entrada dos mangás japoneses e a publicação de Maus, obra de Art Spiegelman que narra o Holocausto em quadrinhos, agora é a vez da literatura clássica.

Para a editora da Difusão Cultural do Livro, Daniela Padilha, as HQs podem ser consideradas um gênero literário e as adaptações que fazem de livros clássicos são uma via de acesso à obra original. “Um leitor que, em um primeiro momento, não pegaria o livro na íntegra de Moby Dick para ler, por conta da sua complexidade e número de páginas, terá contato com a obra de Herman Melville pelos quadrinhos e, depois, poderá partir para o livro na íntegra”, argumenta Daniela em entrevista concedida ao jornal O Norte”, em julho de 2010. Não é à toa que as HQs saíram das bancas e conquistaram também as livrarias.

Para os quadrinistas, ao adaptar os clássicos para as revistas em quadrinhos, o mais difícil é reproduzir a linguagem do autor nos poucos caracteres da fala de um balão ou legenda. É preciso resumir, mantendo fidedigno o tom e o vocabulário do autor.

Se você também é fã de quadrinhos, confira a lista de alguns clássicos adaptados para HQ.

Boa leitura!
O Médico e o MonstroO Pagador de PromessasCasa Grande e SenzalaHamletA Relíquia
 O Médico e
o Monstro
Robert L. Stevenson
 O Pagador de Promessas
Dias Gomes
 Casa Grande
e Senzala
Gilberto Freyre
 Hamlet
William Shakespeare
A Relíquia
Eça de Queiroz
 

Vinte Mil Léguas SubmarinasO Morro dos Ventos UivantesCrime e CastigoDom QuixoteAlice no País das Maravilhas
 Vinte Mil Léguas
Submarinas
Julio Verne
 O Morro dos
Ventos Uivantes
Emily Bronte
Crime e Castigo
Fiódor Dostoiévski
 Dom Quixote
Miguel de Cervantes
 Alice no País
das Maravilhas
Lewis Carrol
 

Fonte: Estante Virtual.
Leia Mais

10 razões, entre tantas, para ler livros


1 – Conhecimento: Os livros refletem desde os primórdios o conhecimento adquirido pelas comunidades. Sejam de ficção, ou não, os livros são fontes inesgotáveis de conhecimento;

2 – Cultura: Ler um livro lhe permite conhecer e assimilar as mais diversas expressões culturais. Lendas e mitos não tem fronteira nas páginas dos livros;

3 – Viajar: Não, livros não são automóveis, aviões, ou mesmo a internet com suas câmeras que não deixam passar nada. Mesmo assim uma boa leitura lhe permite viajar por cenários desconhecidos, permitindo-lhe conhecer os variados países ou mundos, pois apenas nos livros, você tanto pode viajar pela Europa, ou então incursionar, por Nárnia, ou na Terra Média;

4 – Interaja: A leitura de um livro permite ao seu leitor interagir com a obra, afinal, por mais descritiva que seja uma cena, caberá a cada leitor formar a visão de seu personagem, da paisagem... Enfim, a uma boa dose de exclusividade em cada leitor, pois cabe a você imaginar como é o mundo que está lendo;

5 – Um mundo de aventuras: Se temos interação, chegamos a este ponto, os livros nos permitem viver aventuras as quais o mundo real nem sempre permite. Portanto para quem gosta de aventuras, a escolha de um bom livro é fundamental para viajar por lugares perigosos e fantásticos;

6 – Atividade cerebral: O hábito da leitura estimula várias áreas do corpo entre elas o cérebro, fator que acaba auxiliando inclusive no desenvolvimento da inteligência, e na formação de jovens;

7 – Emancipação: Ensinar o hábito da leitura para as crianças é uma das melhores formas de estimular a emancipação através da função liberatória da palavra;

8 – Amigo do Português: Não estou falando do dono da padaria ali da esquina, mas sim da nossa língua portuguesa – Cá entre nós um terror na sala de aula –. A leitura habitual de livros leva de certa forma a uma familiarização com a língua portuguesa, permitindo aos poucos que tenhamos mais noções práticas de seu uso;

9 – Seja um personagem: Ler um livro permite-lhe assumir a forma de seu personagem predileto. Pode tornar-se um mago, que sabe tudo sobre encantamentos, ou um guerreiro valente fadado a salvar o mundo. Nas páginas dos livros você também se torna herói;

10 – Impressione: Não que seja a mais indicada, mas esta é uma das razões que também podem levar ao hábito da leitura. Aquele que lê no metrô, na praça, no ônibus, na escola, jamais passara despercebido, e pode lhe dar uma boa vantagem, seja para aquela paquera, seja para sua mãe, que ficará muito orgulhosa ao ver quanto o “filhinho” é inteligente! Aliás, esta é uma palavra que geralmente está associada aos leitores assíduos.

Fonte: Listas Literárias
Leia Mais

Literatura Brasileira: os silêncios e as exclusões

Um estudo sobre a literatura brasileira divulgado em 19 de fevereiro é literalmente um tapa na cara da sociedade, e sem luva de pelica. Regina Dalcastagnè é jornalista, doutora em teoria da literatura, professora e dedicou 15 anos à pesquisa que mostra o quanto ainda somos preconceituosos, machistas, patriarcalistas e como ainda estamos muito aquém do que acreditamos quando o assunto é aceitar as diferenças.

A pesquisadora se debruçou sobre “um total de 258 obras, correspondente à soma dos romances brasileiros do período entre 1990 e 2004, publicados pelas editoras Companhia das Letras, Record e Rocco e identificados pelo grupo de pesquisa” (de artigo sobre a pesquisa). A pesquisa foi chamada “Eu quero escrever um livro sobre literatura brasileira”. Só para dar um exemplo, ela mostra que o personagem médio do romance brasileiro é um homem branco, heterossexual, intelectualizado, sem deficiências físicas ou doenças crônicas, membro da classe média e morador de grande centro urbano.

Com tantas informações interessantes, representadas no infográfico abaixo originalmente publicado no Ponto Eletrônico, há de se esperar um debate também no campo literário sobre o valor das diferenças e a importância de dar voz à nossa multiplicidade também nessa área cultural. 


Para acessar o site do grupo de pesquisa, clique aqui.

Para ler o artigo sobre a pesquisa intitulado "A personagem do romance brasileiro contemporâneo: 1990-2004", clique aqui 


Leia Mais

Uma Biblioteca de… Sementes?


Essa é a proposta inovadora da Biblioteca Pública de Basalt, uma pequena cidade nos Estados Unidos. Agora, além de oferecer os tradicionais livros, o local também oferta aos seus sócios pacotes de sementes de variadas plantas. A iniciativa, parceria com o Instituto de Permacultura Central Rocky Mountain, tem uma dinâmica que incentiva o contato com a natureza. O usuário retira as sementes, as germina e, quando as frutas e vegetais crescem, retira as melhores sementes e as devolve para a biblioteca.
Os cartões distribuídos na Biblioteca são preenchidos com novas informações quando o sócio devolve a semente. 
Para mostrar como o público logo se ambientou com a mistura entre natureza e literatura, a Biblioteca dá o exemplo da frequentadora do lugar Gray Syson, de 4 anos de idade. Sua mãe conta que, logo após Gray ler um livro com um coelho como personagem, a menina se deparou com um pacote de sementes de cenoura na prateleira e quis levar para cultivar em casa.
Segundo a diretora do local, em um tempo de internet e livros digitais, as sementes são mais uma maneira de continuar atraindo público para a biblioteca.
Fonte: Biblioteca de São Paulo.
Leia Mais

Bibliotecas do mundo

Sete bibliotecas muito diferentes, mas com algo em comum: a capacidade de ampliar o mundo de seus leitores

Conheça a história de bibliotecas clássicas, modernas, exóticas e até daquelas que sobreviveram à guerra, neste livro, elas são contadas por personagens de conto de fadas, animais falantes, filósofos da Antiguidade e bibliotecários, que viveram essas aventuras pessoalmente. Em forma de conto, são ilustradas por grandes artistas, de traço e estilo variados, ampliando o universo da escrita e da imagem sobre os mais diversos lugares e épocas. 

Biblioteca de Alexandria, a mais famosa da Antiguidade; Biblioteca Nacional, mais velha que o Brasil; Biblioteca de Basra, sobrevivente de guerra; Biblioteca do Mindlin, a biblioteca de um homem só; Biblioburro, a de livros ambulantes; Biblioteca Internacional da Juventude, a maior de literatura infantojuvenil do mundo; e Biblioteca-Parque da Rocinha, a nova geração. Novos mundos que vão encantar crianças e formar leitores por todo o Brasil.

TÍTULO: Bibliotecas do mundo
AUTOR: Daniela Chindler
EDITORA: Casa da Palavra
ISBN: 9788577342921
ANO DE EDIÇÃO: 2012
Leia Mais

Empresa paga 14º salário para funcionário que lê um livro por mês

Uma empresa com sede em Cáceres (MT) encontrou uma forma de aumentar as vendas, ampliar o conhecimento dos funcionários sobre o negócio e melhorar o relacionamento entre eles com a criação de um programa de leitura. Para incentivar a participação, a rede de concessionárias Cometa paga um 14º salário no fim do ano para quem ler um livro por mês, desde que a unidade do empregado bata as metas de vendas e administrativas.

O principal objetivo do programa "Cometa Leitura" é o desenvolvimento profissional, por isso, é comum que líderes recomendem leituras para desenvolver certas habilidades nos funcionários e vice-versa.

"Alguns colaboradores comentam o quanto cresceram depois que passaram a ler com frequência, dizem que o relacionamento em casa melhorou e até voltaram a estudar", diz Cristinei Melo, presidente do Grupo Cometa.

Segundo Melo, na área de vendas, é possível perceber a relação entre o nível de leitura e a quantidade de vendas. Já na área administrativa, é mais difícil mensurar os benefícios, embora seja perceptível que os funcionários estão mais qualificados.

Para contar pontos e concorrer ao salário extra, o funcionário deve ler os livros das bibliotecas da empresa. Cada concessionária tem a sua, com cerca de 300 livros. Os temas vão de liderança, gestão, relações interpessoais, autoajuda, até publicações sobre a área de atuação do negócio.

Os funcionários também podem sugerir novos títulos e a direção decide se são pertinentes ou não. Além da leitura, é necessário entregar um resumo para a área de recursos humanos. 

Programa começou informalmente antes de integrar a cultura da empresa

Durante as visitas nas lojas, Francis Maris Cruz, fundador da empresa, entregava livros para os funcionários e, sempre que tinha oportunidade, perguntava se eles tinham lido e o que tinham aprendido. Aos poucos, o hábito foi sendo incorporado pelos funcionários e, em 2006, o projeto foi formalizado.

A leitura é opcional, mas a adesão é superior a 80%. A empresa tem 1.350 funcionários e 15 lojas nos estados do Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará e Rondônia, além do escritório central em Cáceres (MT).
Reuniões ajudam a difundir o conhecimento

A empresa também promove reuniões mensais chamadas de “Círculo do Livro”, em que alguns funcionários são sorteados para comentar suas leituras. “Assim, mais pessoas conseguem entrar em contato com aquele conteúdo e o colaborador trabalha a oratória, vai se desinibindo”, diz Melo.

A presença nessas reuniões e em treinamentos promovidos pela empresa também conta pontos para conseguir o 14º salário. Quem não participa de pelo menos 80% dos encontros perde 25% do bônus.

Investimento em educação ajuda a reter funcionários

Outro incentivo oferecido é o MBA em gestão de concessionária. Professores contratados pela empresa elaboram um curso voltado às necessidades do negócio. O certificado não é válido perante o MEC, mas, segundo o presidente do grupo, tem mais importância do que um MBA de uma universidade. “O curso forma a mão de obra que nós precisamos no nosso negócio.”

Os funcionários que participam do curso não assinam nenhuma cláusula de exclusividade, ou seja, estão livres para ir para a concorrência caso recebam uma proposta melhor. No entanto, Melo afirma que os funcionários não têm interesse de sair. “Nós fazemos várias campanhas de incentivo, damos bônus, premiações, inclusive viagens ao exterior. São coisas que dificilmente eles encontrarão em um concorrente junto com as possibilidades de crescimento que oferecemos.”

Fonte: UOL.
Leia Mais

Conheça o PaperTab, o tablet flexível

Você com certeza já leu e ouviu diversos rumores sobre smartphones com tela flexível. Por mais que pareça impossível, isso já é uma realidade no mundo dos tablets. 

A Plastic Logic, empresa que desenvolve gadgets feitos de plásticos, acaba de criar o PaperTab, um tablet com tela touchscreen flexível que tem a espessura de um papel (por isso o nome "paper", que em inglês, significa papel).

O dispositivo permite o enviar e-mails, navegar por documentos e conta ainda com um processador Intel i5, que funciona separadamente do display e é acoplado via cabo. Outra surpresa do equipamento é a possibilidade de transferir arquivos entre outros PaperTab, apenas por contato direto ou colocando-os lado a lado (seria uma espécie de NFC?).

Por enquanto, o tablet não está disponível no mercado, mas deverá ser apresentado nesta terça-feira (8/01), durante a feira de eletrônicos CES 2013 (Consumer Electronics Show), em Las Vegas (EUA).

Fonte: Pesquisa Mundi.
Leia Mais

10 Grandes e nobres motivos para emprestar seus livros

1 - É socialmente “correto” e prazeroso: Muitas pessoas sentem-se bem quando sua imagem é associada à generosidade, e a coisas corretas. Muitas também sentem prazer fazendo o que a sociedade considera o correto e civilizado. Assim emprestar seus livros certamente colaborará para sua fama de bom moço, sempre disposto a compartilhar aquilo que toma por riqueza, nesse caso, seus livros; 

2 - Multiplica o conhecimento: É fato que o mundo tende hoje a compartilhar seu conhecimento. E aí está a internet para nos provar isso, onde compartilhamos muitas coisas, inclusive pessoais. Então não seria nada mal, vez por outra a sua estante ficar com um vácuo, enquanto sua generosidade espalha o conhecimento por meio de empréstimo dos seus livros;

3 - Ajudar a quem precisa: Nem só de pão e água devem ser feito os homens. Cultura é fundamental para ampliar horizontes, e nos melhorar quanto cidadãos. Neste sentido a literatura tem papel importante, porém há ainda muitos brasileiros que não podem, e não dispõe de dinheiro para investir em livros. Sem acho bem legal quando vejo na tevê biblioteca comunitária que partilha livros entre aqueles que não podem comprá-lo, e mesmo que a sua estante não seja das mais recheadas, sempre poderá praticar a generosidade emprestando seus livros para aqueles que desejam, e as vezes não pode ler; 

4 - Fortalecer a literatura: Sim, o simples ato de emprestar seu livro também pode fortalecer a literatura. Imagine que aquele seu amigo que acha seu hábito de ler uma bobagem, mas certo dia fica instigado, pela capa, ou por um comentário seu, e lhe pede emprestado o livro. Sua avareza, ou sua generosidade podem ser responsável ou não por um novo e ávido leitor; 

5 - Ajude a divulgar seu autor predileto: Todos nós temos um autor preferido, e sem dúvida alguma a melhor forma de ajudá-lo é espalhar o máximo possível seu texto, ou seja a cada empréstimo de seu livro, é como se você colaborasse para o marketing do escritor; 

6 - Não queria mesmo: Pois é, digamos que você comprou Crepúsculo buscando por vampiros, e encontrou apenas criaturinhas brilhantes que não muito chegadas a sangue. Resultado: Talvez nem tenha terminado de ler. Então que mal fará emprestá-lo, pois se não devolverem, você sequer ficará chateado; 

7 - Compartilhar sua leitura: Você leu um livro fantástico, e não tem com quem comentar como aquele detetive chegou em sua brilhante decisão? É fácil solucionar isso, empreste para dois ou três amigos seu livro e terá um grupo homogêneo para debater a trama; 

8 - Dar e receber: Se você não é filho do Eike Batista, provavelmente sua verba não dá para comprar todos os livros que deseja ler ao mesmo tempo. Portanto o hábito de emprestar seu livro, também o credencia para tomar emprestado, no que chamamos de reciprocidade literária; 

9 - Avareza é pecado: Lembre-se que os bonzinhos são sempre generosos. Ou seja, praticar a inclusão cultural e literária o colocará sempre entre os bonzinhos; 

10 - Não tira pedaço: Ao menos seu é certo que não tira! Sabendo a quem emprestar, deixando claro suas manias com seus “filhotes” e os cuidados necessário, seu livro irá espalhar literatura, e vez por outra pernoitando em sua estante para sua venerada admiração.

Leia Mais

Acervo Digital da Revista INFO Online

Você que é um leitor assíduo da revista INFO, que se acostumou durante estes anos a acompanhar os assuntos relacionados à informática, internet, TI e tecnologia, poderá agora acessar online as edições desta revista por meio do Acervo Digital da INFO.

Você poderá consultar todas as edições da INFOo desde 2003, além da primeira edição da revista, de 1986, quando ela ainda era conhecida como Exame Informática. Para quem curte tecnologia vale a pena consultar!
Leia Mais

Possíveis rostos para os personagens dos livros


Uma das maiores possibilidades oferecidas pelos livros é nos permitir imaginar do nosso jeito como seriam os personagens narrados nas histórias. Um mesmo personagem pode ser imaginado de milhares de formas diferentes por leitores no mundo inteiro, sofrendo sempre influência das diversas culturas e criatividade das pessoas. Muitas vezes ficamos intrigados quando assistimos a um filme baseado em um livro e temos o rosto do nosso personagem favorito estampado por um ator famoso


Para brincar com a imaginação dos leitores, o pessoal do tumblr The Composites utiliza uma ferramenta de retrato falado para montar o rosto dos personagens, baseando-se nas descrições feitas nos respectivos livros.

Confira alguns retratos interessantes que o The Composites fez nos últimos tempos. O tumblr conta ainda com as sugestões dos leitores para aperfeiçoar os retratos, como uma forma de democratização da imaginação de como o personagem deveria ser.

Um dos romances mais polêmicos já publicados, Lolita é narrado pelo professor de poesia Humbert Humbert, que se apaixona por sua enteada Dolores Haze. O tumblr recriou a face do personagem segundo o que o próprio diz de si: boa aparência; queixo bem torneado; cabelos escuros, suaves e sombrios; magro; ossos grandes; sobrancelhas grossas e negras; sorriso de menino; olhos de macaco envelhecidos e rosto contorcido. Veja como ficaria Humbert Humbert após essa descrição:
  •  Compre o livro Lolita na Estante Virtual

            Lolita


Outro clássico da literatura fantástica, O Drácula de Bram Stoker também foi recriado com a ferramenta e ganhou formas diferentes das dos filmes que foram feitos para o livro. 

Segundo as descrições do livro, o Conde Drácula seria assim: homem velho e alto, com barba feita e um longo bigode branco; rosto fortemente aquilino (relativo a águia); com ponte alta do nariz fino e narinas peculiarmente arqueadas; sobrancelhas quase juntas sobre o nariz; cabelo espesso que parece enrolar em sua própria profusão; orelhas pálidas com o topo aguçado; queixo largo e forte, e bochechas firmes embora finas; olhos azuis com fúria. Sua imaginação se pareceu com este retrato?
  • Compre o livro Drácula na Estante Virtual

    Drácula



Passando para os livros mais recentes, Lisbeth Salander, da Trilogia Millennium (Os Homens Que Não Amavam as Mulheres, A Menina que Brincava com Fogo e A Rainha do Castelo de Ar) também ganhou forma baseada na descrição do livro, apesar de já ter sido interpretada no cinema por duas atrizes diferentes.

Na descrição: uma mulher jovem, pálida e magra; cabelo curto como um fusível; uma tatuagem de vespa de cerca de uma polegada em seu pescoço; cabelos originalmente vermelhos, mas tingidos de negro ebúrneo; sorriso torto. A personagem, no retrato falado, ficaria assim:
  • Compre o livro Os Homens Que Não Amavam As Mulheres na Estante Virtual

    Os Homens Que Não Amavam As Mulheres


  • Compre o livro A Menina Que Brincava Com Fogo na Estante Virtual

    A Menina Que Brincava Com Fogo


  • Compre o livro A Rainha do Castelo de Ar na Estante Virtual

    A Rainha do Castelo de Ar



Atualmente best-seller em diversos países, a personagem de Jogos Vorazes também teve sua face recriada pelo tumblr. 

Katniss Everdeen, narradora e protagonista da trilogia que inclui Jogos Vorazes, Em Chamas e A Esperança, foi descrita da seguinte maneira: Cabelos pretos e lisos; pele cor de oliva; olhos cinzentos; enormes olhos escuros; lábios vermelhos e cheios; fios de cabelo vermelhos, em um padrão que começa na orelha esquerda, envolve em torno da cabeça, e então cai em uma trança no ombro direito. 

Veja como ficaria a protagonista de Jogos Vorazes no retrato falado:
  • Compre o livro Jogos Vorazes na Estante Virtual

    Jogos Vorazes


  • Compre o livro Em Chamas na Estante Virtual

    Em Chamas


  • Compre o livro A Esperança na Estante Virtual

    A Esperança


O tumblr The Composite, escrito pelo norte-americano Brian Joseph Davis, possui outras dezenas de retratos falados de personagens de livros famosos.

Fonte: Estante Virtual.
Leia Mais

Os bastidores de um gênero em ascensão: os livros inspirados em games

Criação das obras em papel segue um roteiro bem definido pelas produtoras dos jogos eletrônicos. As vendas mostram que a fórmula é correta

Jaina Proudmoore, personagem principal do livro 'World of Warcraft - Marés da Guerra

Jaina Proudmoore é uma feiticeira renomada de Theramore, uma cidade de Azeroth, o mundo fictício do jogo World of Warcraft. Embora a personagem seja uma presença constante no universo do game desde seu lançamento, em 1994, sua história parece nunca ter sido esgotada nos jogos — a complexidade do personagem e da trama sugerem algo mais. A Blizzard, produtora do título, percebeu isso e decidiu recorrer a um formato mais antigo para ampliar a vida de Jaina: o livro. Assim nasceu World of Warcraft — Marés da Guerra, uma história inspirada na personagem do jogo. Assim nasceu também mais de uma dezena de obras relacionadas às diversões eletrônicas e que agora ganham espaços nas livrarias brasileiras. E também nas mãos de leitores.

Na maioria dos casos, os livros não repetem a história do game, mas exploram um universo temático relacionado a ele. Contam detalhes de um personagem que passou despercebido, desvendam segredos sobre a criação de um mundo, explicam uma expansão futura ou ainda esclarecem a origem de uma série. Uma coisa contudo deve ficar clara: o processo de criação do livro é todo controlado pela produtora do game. São essas empresas que decidem o roteiro da obra e escolhem a dedo o autor que receberá a incumbência de colocar no papel histórias e personagens que ficaram famosos no mundo eletrônico.

Para continuar a ler a matéria, clique aqui.
Leia Mais

Os 20 livros mais vendidos de 2012

No mês de Janeiro o PublishNews divulgou a lista dos livros mais vendidos no Brasil em 2012. Além da lista com os 20 livros mais vendidos, o site tem ainda a lista com os 20 mais vendidos de cada categoria (Ficção, Não-ficção, Infanto-juvenil, Autoajuda e Negócios).

A partir desta lista podemos ter quase certeza de que as posições são mesmo essas, ainda que haja a possibilidade de uma pequena margem de erro. E como ele é feito a partir dos números que onze livrarias enviam, podemos ter certeza de que o número de livros vendidos é bem maior que o da lista, já que ela representa apenas uma amostra e não o todo.

Pela lista fica fácil, infelizmente, notar a falta de destaque que têm os escritores brasileiros. Os quatro livros nacionais mais vendidos, por exemplo, são de Edir Macedo, Padre Marcelo, Eike Batista e Danuza Leão. Para uma análise mais detalhada da lista vale dar uma olhada na matéria da Folha de São Paulo sobre ela.
Mas chega de conversa e vamos à lista!

1º – Cinquenta tons de cinza
E. L. James
Editora: Intrínseca
Ficção
Vendidos: 583.768

2º – Cinquenta tons mais escuros
E. L. James
Editora: Intrínseca
Ficção
Vendidos: 294.875

3º – Nada a perder
Edir Macedo
Editora: Planeta do Brasil
Não-ficção
Vendidos: 293.898

4º – Cinquenta tons de liberdade
E. L. James
Editora: Intrínseca
Ficção
Vendidos: 223.226

5º – Agapinho
Padre Marcelo
Editora: Globo Livros
Infanto-juvenil
Vendidos: 140.058

6º – O x da questão
Eike Batista
Editora: Primeira Pessoa
Não-ficção
Vendidos: 109.213

7º – A guerra dos tronos
George R. R. Martin
Editora: LeYa
Ficção
Vendidos: 85.106

8º – Nietzsche para estressados
Allan Percy
Editora: Sextante
Autoajuda
Vendidos: 71.895

9º – Jogos vorazes
Suzanne Collins
Editora: Rocco
Infanto-juvenil
Vendidos: 71.642
Compre: Walmart | Fnac (box) | Livraria da Folha

10º – A escolha
Nicholas Sparks
Editora: Novo Conceito
Ficção
Vendidos: 70.183

11º – Diário de um banana – casa dos horrores
Jeff Kinney
Editora: Vergara & Riba
Infanto-juvenil
Vendidos: 69.173

12º – É tudo tão simples
Danuza Leão
Editora: Agir
Não-ficção
Vendidos: 67.732

13º – O monge e o executivo

James Hunter
Editora: Sextante

Negócios
Vendidos: 62.421

14º – Diário de um banana
Jeff Kinney
Editora: Vergara & Riba
Infanto-juvenil
Vendidos: 60.499

15º – O pequeno príncipe
Antoine Saint-Exupéry
Editora: Agir
Infanto-juvenil
Vendidos: 60.093

16º – Steve Jobs
Walter Isaacson
Editora: Companhia das Letras
Não-ficção
Vendidos: 57.843

17º – Toda sua
Silvia Day
Editora: Paralela
Ficção
Vendidos: 54.379

18º – Um dia
David Nicholls
Editora: Intrínseca
Ficção
Vendidos: 53.724

19º – O filho de Netuno
Rick Riordan
Editora: Intrínseca
Infanto-juvenil
Vendidos: 53.248

20º – A queda
Diogo Mainardi
Editora: Record
Não-ficção
Vendidos: 53.237
Leia Mais